Caixa Econômica Federal - Trajetória de sonho e realidade!!!


Muito jovem comecei a trabalhar... Como filha mais velha, sentia que precisava ajudar minha família e fui à luta. Lembro que o meu primeiro trabalho remunerado foi como manicure. Depois, trabalhei num laboratório de revelaçao de fotos; algo diferente, que me despertou a paixão por fotos. Dali, fui para as Lojas Riachuelo e trabalhei como caixa. A cidade era Corumbá, sol quente, terra branca, gente alegre e amiga. Fiz boas amizades ali e tive minhas primeiras experiências de trabalho.

Depois, passei no vestibular para Psicologia e consegui um trabalho na Universidade Federal de Mato Grsso do Sul, onde trabalhava num período no Detran - setor de aplicação de testes psicólogicos e, no outro período, na Biblioteca. Como era período de implantação do Programa de Crédito Educativo, consegui também um estágio pela Caixa Econômica Federal, dentro da Universidade, para prestar informações sobre o Crédito Educativo. Foi um tempo muito bom!!! Adorava estudar! Adorava meu curso! Me sentia importante representando o Governo Federal da Universidade e acompanhando de perto a realização de sonhos de colegas que precisam de apoio financeiro para estudar e por isso se inscreviam para as bolsas que o Programa oferecia: de Manutenção e Anuidade.


Depois de um ano, fiz concurso para a Caixa Econômica Federal e fui aprovada com boa classificação. Com isso, fui chamada para ser admitida em Cuiabá, onde funcionava a Filial da CEF, que nesta época respondia por todo Estado de Mato Grosso, ainda único no Centro Oeste. Isto gerou uma grande batalha dentro da minha casa, pois meu pai não aceitava a proposta de sua filha morar sozinha em Cuibá. Além disso, tive problemas ao ser admitida, pois o exame admissional foi muito rigoroso e por causa disso tive até que me submeter a uma cirurgia. Mas nada era obstáculo para mim, que tinha claro o que queria: ser funcionária da CEF e conseguir comprar uma casa própria acomodar minha familia.

E assim foi: assumi a Caixa em fevereiro de 1976, em Cuiabá/MT e um mês depois já estava em São Paulo num curso para gerentes que atuariam nos estados trabalhando com Crédito Educativo. Dali, sai Coordenadora do Projeto PCE no Estado. Na Caixa trabalhei mais de 21 anos, sempre com muita dedicação e amor pelo meu trabalho. Consegui a casa para meus pais, uma família, uma grande experiência profissional e amigos. Trabalhei muitos anos como Caixa Executivo no Penhor, fui eleita para a Presidência da Associação de Pessoal da CEF/MS por dois mandatos e pude vivenciar de perto toda a luta dos trabalhadores por melhores condições de vida e trabalho. Participei de grandes movimentos sindicais reivindicatórios, de greves, de eventos culturais nacionais e o saldo de todo esse tempo é muito positivo.

Depois, adoeci. Tive LER - Lesões por esforços repetitivos e passei por momentos muitos difíceis que me levaram a pedir a demissão. Na época, não tinha a visão de hoje e acabei inclusive renunciando a direitos, ao invés de buscar novas alternativas para continuar como bancária.

Sai da Caixa em 1997; mas não parei por ai. A minha saída permitiu que eu voltasse a estudar e então pude concluir meu curso de Psicologia, tarefa que não foi fácil no inicio, pois não conseguia sequer carregar cadernos e por isso ia para faculdade de mochila. Tudo bem! Podia assim exercitar minha "jovialidade"!


A formatura como Psicóloga em 2000 foi uma grande vitória: me sentia, viva, útil e o melhor de tudo: com minhas dores aliviadas. Nos anos seguintes, fiz concurso para o Governo do Estado onde fui aprovada como Psicóloga; depois fiz duas especializações -ambas focadas no mundo do Trabalho - uma delas em Saúde do Trabalhador e a outra em Gestão de Recursos Humanos. Muito aprendi nestes momentos. Trabalhei 3 anos como funcionária pública estadual e descobri a mágica dos trabalhos sociais e comunitários e passei a desenvolver Trabalhos Técnicos Sociais de acompanhamento de famílias em risco social; indiretamente, novamente comecei a trabalhar com a Caixa Ecônomica Federal - principal gestora dos recursos aplicados no país nas áreas sociais. Assim, pude ver claramente a importância que esse Banco têm no processo de desenvolvimento do nosso país, desde o período da escravidão, quando nela eram depositados valores que serviriam para os escravos comprarem sua liberdade. E pude compreender o quanto foi importante a luta dos empregados da CEF pela não privatização da CEF e pela defesa de seu papel de Banco Social. Além disso, pude participar de um período histórico, uma vez que até então o economiárionão possuia a rotina de lutar pelos seus direitos. Depois, através da sindicalização e das campanhas, a experiência de lutas trouxe um avanço significativo na organização dos trabalhadores, que a partir de então se tornaram bancários da CEF.

Ontem, 14 anos depois de sair da Caixa, a Assembléia Legislativa de MS realizou uma sessão solene para comemorar os 150 da CEF e homenageou a atual Presidenta da empresa, Maria Fernanda Ramos Coelho e os diretores Carlos Borges e Jorge Hereda com títulos de cidadãos sul-matogrossenses. O Superintendente Paulo Antunes foi homenageado com uma comenda da Assembléia. Além destes, foram homenageados 9 funcionários. Eu fui uma dessas pessoas homenageadas. E, este momento foi muito significativo para mim pois permitiu que eu pudesse recordar de um período importante de minha vida profissional e, ao mesmo tempo, receber o carinho e o reconhecimento de pessoas que me são próximas. Além disso, ganhei uma linda placa de vidro e o carinho de familiares, antigos colegas e amigos.

Por tudo isso, manifesto hoje, publicamente, meu agradecimento a Amarildo Cruz, Deputado Estadual do PT e sua assessoria, proponente da sessão solene. Uma sessão emocionante, não somente pela homenagem recebida, mas também pela possibilidade de comemorar junto com os funcionários da CEF este momento: 150 anos de uma empresa que trabalha de forma generosa na redução dos níveis de desigualdade social e realizando sonhos e esperanças de parcela significativa de nossa sociedade, diminuindo as desigualdades sociais e propiciando novos tempos, casa própria, mais saneamento, mais qualidade de vida e cidadania para milhões de pessoas.


Importante: Essa música e outras mais foram apresentadas no evento pelo Coral de Meninas de Porto Murtinho/MS. As flores? foram presentes que recebi: do pessoal da CITTÀ Planejamento Urbano e Ambiental e do casal Fabíola e Fabrício. Lindas flores!!! Lindo dia!!!

Noticias publicadas na mídia eletrônica: http://www.al.ms.gov.br/Default.aspx?Tabid=56&ItemID=31050
http://www.al.ms.gov.br/Default.aspx?Tabid=56&ItemID=31051

Comentários

  1. mãe, vc eh uma guerreira, meu orgulho, minha vida... linda, linda, linda... vc merece essa e tantas outras conquistas q ja teve e ainda vai ter... vc merece reconhecimento pela mulher grandiosa q é... um beijo, te amo demais!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, minha filha... você é muito generosa com sua mãe... bjss em seu coração!!!

    ResponderExcluir
  3. Isabel, parabéns pela sua coragem e persistência em buscar sempre as vitórias para a sua vida. Fiquei muito contente em saber que o evento da CEF foi tão importante para você, quanto foi para nós do gabinete do deputado Amarildo Cruz. Na próxima segunda (7) nós pegaremos o DVD do evento e ele estará disponível para você, caso você queira uma cópia entre em contato conosco.

    Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Deliane, sou muito grata pelo carinho de vocês... Eu tenho interesse sim no DVD e gostaria de ter uma cópia... Grande abraço a todos do gabinete!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

MENSAGENS DE FORMATURA

Lugar sem comportamento é o coração...

"Solenidade de formatura - mensagens"